quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Rotina

Não arregale esses olhos! Não, não temos rotina... Mas tenho feito algumas coisas rotineiramente e elas têm me ajudado a lidar com minhas escolhas atuais. As crianças continuam livres, leves e soltas...
E escalando montanhas! :p

Eu decidi não ter rotina com as crianças para procurar respeitar o próprio fluxo delas. Afinal, teorias há de baldes, o problema é ver se as minhas crianças se encaixam nelas...
De acordo com minhas observações, percebi que de manhã tenho uma "janela" de calmaria até meio-dia, horário Mamãe-eu-te-quero-só-pra-mim da Anna. Depois a calmaria volta lá pelas seis da tarde.
Claro que isso varia... Depende do tempo, da lua, da articulação dos planetas... enfim... N fatores que não é possível listar ou adivinhar.
Mas dentro desse fluxo relativamente constante eu decidi montar a minha rotininha e agora conto aqui como andam as coisas na minha vida. Antes de começar a narrar a minha rotina, propriamente, quero dizer que não estou fazendo um manual. É que eu comentei aqui que estava estudando algumas técnicas de produtividade e a Rô pediu que eu compartilhasse, além de ter um insight um dia desses, do qual eu falo lá no final.

Meu dia não tem hora para começar. Geralmente começa quando alguém me acorda (Anna) pedindo "hot chocolate" ou "ice chocolate". Se estou muito cansada, consigo mais 20 minutos de sono se eu sugiro que ela veja um episódio de My little pony. Sim, sim, faço isso sem peso na consciência, porque eu, "bem-dormida", sou uma mãe muito mais paciente, feliz, centrada. De quebra a Anna já acorda treinando inglês (há!).
Enquanto preparo o café da Anna e do Caio, também faço exercícios. (Sim! Já estou há praticamente dois meses me exercitando di-a-ri-a-men-te.) São quatro exercícios básicos: agachamento, plank, flexão e abdominais.
Os meus números hoje são:
150 agachamentos, que eu incorporo com movimentos com os braços
2 minutos de plank
20 flexões
150 abdominais (intercalo o trabalho com as partes superior, inferior e laterais)
Mas, olha... Não comecei assim! Demorei 30 dias para chegar nessa marca e descanso aos domingos! Comecei devagarinho, com 20 agachamentos, 20 segundos de plank, 3 flexões e 20 abdominais. Sério. Serião. Não pode ir achando que vai arrasar, tem de começar de pouquinho, um dia atrás do outro, não pode pensar no amanhã, mas no hoje: o que isso vai me trazer de bom hoje? Vou ficar mais animada? Vou começar o dia focando em mim? Vou sentir que vou fazer algo a respeito daquela canseira que eu tinha ao subir o lance de escadas? Então se agarre nessas afirmações e, 'bora! Eu uso essas frases para me motivar e me respeito muito quando meu corpo dá sinais de que não está bom... Aí só faço alongamentos ou então a saudação ao sol, que aprendi quando fiz yoga há uns dez anos...
Depois tomo banho (isso me obriga a tirar o pijama), mas às vezes não dá tempo de tomar banho, se tenho algo logo em seguida e aí me bagunça todo o dia... Mas tudo bem, porque banho a gente dá um jeito de achar tempo, certo? Então eu sei que vou tomar banho, o máximo que pode acontecer é eu ficar de pijama o dia todo (isso não tem mais acontecido nos últimos tempos...).
E aí você me pergunta: mas qual é o problema de ficar de pijama o dia todo? Olha, problema algum... Sério. Eu adoro meus pijamas, já que não são pijamas, mas roupas confortáveis que uso diariamente. Só que eu percebi que se estou bem confortável, assim, de calça larga, meia e pantufa, fico com preguiça de fazer as coisas, de ir ao mercadinho, de levar as crianças ao parque, de tudo. Se já estou mais apresentável, é só pegar as crianças e sair. Agiliza o meu dia.
E, então, tomo café. Na verdade, não tomo café. Aboli o leite com café do meu dia e tomo chá, que preparo junto com o café das crianças, então quando eu vou tomar, já está gostosinho, morninho e não vai fazer eu queimar a língua (eu vivia queimando a dita!).
Olha, eu bem que queria ser mais saudável no café da manhã, comendo frutas, cereais, essas coisas. Mas não sou assim. Mesmo quando tem essas coisas em casa me limito ao chá com torradas e alguma coisa, que pode ser manteiga de amendoim e geleia, manteiga e uma calda de maçã que uma amiga me deu que é a escolhida da vez, mel, enfim... O que der na telha.
Depois do café eu tento (mas não tenho conseguido), arrumar a cozinha, porque é outra coisa que me limita um pouco, já percebi... Se a cozinha está aquela zona, fico com preguiça de começar uma receita, porque sei que só vou conseguir começar se der um jeito na cozinha (não sei cozinhar na bagunça!). Deixando tudo guardado, fico mais inspirada para fazer aquele muffin rapidinho, ou cortar umas frutas pras crianças... Muitas vezes peço para as crianças fazerem isso, já que, como disse, não tenho conseguido fazer.
E, então, eu vou verificar na minha agenda o que eu tenho de fazer pro dia. Como minha agenda é semanal, no fim de semana eu meio que já me preparo para a semana toda e vou distribuindo as tarefas diariamente, de forma que não passem cinco atividades por dia. E todo dia eu já tenho três atividades: exercícios, uma hora de leitura de um livro que estou editando para uma amiga e uma hora de trabalho no site da Go Brazilian. Pois é, eu nem comentei aqui que ganhei esse site de presente! Foi um presentão e estou animada com as mudanças que tenho feito... Quando "inaugurar" o site sob nova direção, venho aqui contar.
Com as atividades para o dia em mente, eu abro o computador, vejo meus e-mails e mensagens e já resolvo o que puder resolver, porque, como disse, meio-dia é o horário da Anna, em que ela exige atenção máxima e exclusiva. Então eu tenho de terminar de ler as mensagens até esse horário, o que nem sempre dá, mas eu tento.
E então eu fico com ela, brinco, faço uma trança, pinto as unhas, vou ao parque, levo o Igor pra fazer exame etc. O que tiver de fazer fora procuro fazer nesse horário. Claro que às vezes não dá, né, porque tem consulta que é mais cedo, ou compromisso que é mais tarde. Mas no geral esse horário eu fico com eles (a Anna, principalmente, mas com os meninos também). É também por esse horário que vou estender roupa (que pus para lavar antes dos exercícios... Esqueci de falar porque não é uma atividade diária. Faço quando o cesto transborda até a sala precisa), que arrumamos a casa, que separamos os livros para devolver na biblioteca etc.
Umas seis da tarde eu faço a janta. Sim, sim, nada de almoço por aqui. :p Aprendi com os kiwis que uma refeição completa basta! Para o almoço é o que tiver à mão: pode ser sanduíche, torta, pizza do dia anterior, frutas, bolo. Uma opção dessas ou um combinado. Sou beeeeem relaxada quanto à comida ultimamente. Pareço outra pessoa... Se a Penelope de dois anos atrás me visse, ia pensar: "Puxa, que ideia legal, vou copiar!". hahahaha
Aí jantamos, tento inserir uma rotininha de tomar banho, escovar os dentes, leitura e tchibum na cama, mas não rola, não. Varia muito. Ora estou exausta. Ora tenho algo para resolver. Hoje, por exemplo, eu tinha a compra de mercado para fazer, tinha uma conta pra pagar, tinha esse texto pra escrever e a Anna estava muito cansada, pois ela fez xixi na cama e acordou às 5 da manhã e não conseguiu mais dormir direito. Então ela estava dando um trabalhinho... Aproveitei a deixa que ela fez outro xixi na roupa (hoje foi o dia dos xixis, como você pode perceber...) e tomou banho para convidá-la para ler os livros e incentivá-la a ficar na cama. Li os livros, fiquei com ela na cama, mas ela estava tão, tão agitada, que achei melhor deixar pra lá e ela ir dormir quando quisesse, senão eu não terminaria o que tinha pra fazer. E vim pro computador resolver as coisas... Estou descrevendo para você perceber que a rotina é uma rotina, mas não é uma amarra. Ela é beeeeeem flexível. Isso é importante para mim, pois costumava me martirizar pelas coisas que deixava de fazer e estou num exercício de autoaceitação, de "tudo bem, não deu hoje, amanhã dá... ou não", de "a la Caetano".
Aí depois de trabalhar as minhas duas horinhas obrigatórias no computador (o livro e o site) eu posso ler um livrinho e tchibum na cama! Quando tenho aula (sou professora de português como língua estrangeira, você sabia?), preparo a aula e acordo para dar a aula. Procuro marcar as aulas de madrugada, porque acho muito mais fácil organizar as coisas e não preciso ficar toda tensa porque as crianças estão fazendo barulho, ou isso ou aquilo. Se por um lado meu sono fica meio bagunçado, por outro eu trabalho com muito mais qualidade, o que reflete na percepção dos meus alunos (já até consegui uma aluna "por fora", por indicação de um dos alunos desta empresa para a qual trabalho).
Ufa! É isso!
Meu segredo para ter produtividade então é responder: o que te paralisa? O que te prejudica? O que te atrapalha? O que tira seu tempo?
Com a resposta na mão é buscar estratégias de ultrapassar essas barreiras. Eu contei um pouco as minhas (trocar de roupa de manhã, fazer os exercícios como primeira coisa do dia, deixar a cozinha arrumada, organizar a semana com apenas cinco atividades diárias). E agora quero saber as suas!
Por quê? Bem, essa semana me veio esse insight depois de uma amiga ficar inspirada para fazer exercícios depois que eu contei como os incluí na minha vida: não somos manuais ou exemplos a serem seguidos, mas nossas escolhas podem ser as respostas que um outro está procurando. Vamos nos ajudar?

Um comentário:

  1. Adorei, adorei esse seu relato de rotina! Estou tentando incorporar a yoga em todas as minhas manhãs, antes de o povo aqui acordar. Acordo às 6h10 e faço uma rotina de uns 20 minutos. O ruim é que fico muito cansada porque nunca consigo dormir cedo. Mas estou amando esse meu tempo comigo e dedicado ao meu corpo.

    ResponderExcluir